quinta-feira, 22 de março de 2012

Até os barcos navegam no Tejo...

Esta notícia, é o reflexo da inopotuna greve de hoje. Arménio Carlos, quis entrar com uma greve na liderança da CGTP para marcar posição e notoriedade. Não é normal que os Sindicatos façam duas greves gerais em apenas 5 meses, pelo que a imagem de um barco a navegar em dia de greve demonstra bem a pouca adesão e interesses dos trabalhadores em seguir os sindicatos.

Por razões históricas, a Soflusa e a Transtejo são das empresas que mais aderem a este tipo de iniciativas, obrigando os residentes na Margem Sul a entupirem as pontes sobre o Tejo.

Se a Carris funciona quase na sua plenitude, e os barcos trabalham no rio, é razão para acreditar que este tipo de sindicalismo arcaico e radical tem os seus dias contados.

Nem Arménio Carlos consegue dar números de adesão à greve à hora de almoço, o que contraria os ultimos onde Carvalho da Silva fazia o ponto da situação ao meio do dia. O actual secretário geral da CTGP ficou-se pelo mero "um numero significativo de trabalhadores aderiu à greve".

Há-de chegar o dia em que os barcos navegarão tranquilamente pelo Tejo nestas ocasiões.

Sem comentários:

Enviar um comentário