segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A Lei de Damasco

A Síria é o quarto país este ano que está a ser atingido por aquilo que se chama de "Primavera Árabe" que começou no príncipio na Tunisia e atravessou o ano todo afectando países como o Egipto e a Libia. Esta revolução nos países orientais promete continuar por muito e bom tempo.....


É curioso o facto de não existir quedas de ditadores ao mesmo tempo, isto é, cada um tem caído um a seguir ao outro, como que fosse de propósito. É obvio que as manifestações já há muito começaram mas é preciso atenção mediática, por isso é que cada país vai intensificando a revolução após a queda de um ditador. A excepção foi no IEMEN, onde quase ninguém reparou que o Presidente Saleh abdicou do seu poder em troca de não ser julgado ou mesmo morto.


A Siria vai ser um caso mais complicado, porque o regime é forte bem como o poder militar. Tal como no Egipto, Bashar Al Assad controla o poder militar e a população. Também é visivel que a NATO não se está para chatear.


Veremos qual a posição da Liga Árabe que tem apoiado incondicionalmente as revoluções que tem acontecido naquela região do globo, mas agora há um pequeno problema.


A situação de caos no Egipto Pós-Mubarak pode fazer que alguns manifestantes mudem de ideais e deêm um passo atrás.


Sem comentários:

Enviar um comentário