sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Bem vindo ao clube Mario

Mario Monti é o novo membro do clube que anteriormente era composto pelo eixo franco-Alemão.

Angela Merkel e Nicolas Sarkozy decidiram fazer uma troika europeia, porque estavam a ver que a relação a dois não estava a dar resultados. Ou então para não criar mais suspeitas relativamente ao romance que existia entre os dois decidiram convidar alguém para disfarçar a "coisa".


Falando mais a sério, este aparecimento da Itália no Clube Privado dos Países que Decidem o Futuro dos Outros é de gerar desconfiança. Se por um lado, aplaudimos a abertura do CPPDFO( sigla do Clube) a outros países, não se percebe porque continuam os outros 14 ( + os excluídos) fora do diálogo e do centro de decisões. Pior ainda, não se percebe a razão de Bruxelas ser completamente ignorada. Se as Instituições europeias não servem então que se faça qualquer coisinha naqueles edificios. Uns apartamento ali era bem pensado!


Até porque se a razão de outros não terem sido convidados é o facto de serem economicamente débeis, não se entende a inclusão da Itália num momento em que este país está a viver grandes dificuldades financeiras. E então a Espanha? Rajoy não merece ser chamado ou vai ser o quarto membro?


A zona euro precisa de solidificação e união e não deste tipo de conferências ou encontros a três que mais parecem uma forma de criar nos outros países a ideia que existe uma europa de primeira e os outros, ainda por cima quando todos sabem que um dos principais problemas da Europa é a falta de união política mas também social. Há falta de solidariedade institucional nesta União. Pelos vistos Mario Monti foi também convidado para decidir do futuro de Portugal, Irlanda e Grécia mesmo estando a Itália numa situação parecida com os três ostracizados.


Ou então Merkel e Sarkozy não gostavam mesmo de Berlusconi... e de Passos Coelho gostam?

Sem comentários:

Enviar um comentário